26 de abr de 2010

30 Fotografias Incríveis - Aurora Boreal



Aurora Boreal, Aurora Polar, Luzes do Norte ou do Sul ou apenas Aurora são a mesma coisa... São maneiras diferentes de chamar um fenômeno natural de luzes que aparece no céu, geralmente a noite, particularmente nas Regiões Polares. A Aurora Boreal ocorre normalmente de Setembro a Outubro e de Março a Abril. As luzes do norte já tiveram diversos nomes no decorrer dos tempos, mas um dos que achei mais interessante foi "A

Dança dos Espíritos".




http://abduzeedo.com/node/7118




7 de dez de 2009

PRODUTOS PERSONALIZADOS COM FOTO

Acesse: www.dklafke.com

CONHEÇA A EQUIPE DKLAFKE


A Fotógrafa

Daniela Klafke

Quando adolescente participou de alguns desfiles e foi nesta ocasião que teve seu primeiro contato com o mundo da fotografia. Contudo, seu contato foi apenas como modelo

Em 1991, cursou dois anos de jornalismo. E foi durante o curso que conheceu o outro lado da fotografia - o lado do fotógrafo.

Nesta mesma época, começou a praticar hipismo. A paixão pelos cavalos e o interessante mundo da fotografia encantavam cada vez mais.

Fez alguns trabalhos com a fotografia analógica, mas foi com o advento da fotografia digital que seu trabalho começou a ganhar mais destaque.
Em razão de sua profissão - como médica veterinária - ficou alguns anos com pouco tempo para se dedicar à fotografia.

Em 2000, iniciou sua criação de cavalos da raça Puro Sangue Lusitano. A raça foi escolhida, entre outras caracterísitcas, pela sua beleza exuberante, elegância e docilidade.
Assim surgiu a oportunidade de unir sua profissão, a paixão pelos cavalos e a fotografia.

Fez desta tríade uma arte.
Atualmente, largou a profissão de médica veterinária e dedica-se à fotografia como profissão. A preferência é por fotografias ao ar livre, fazendo da natureza o seu próprio estúdio.



A EMPRESA

http://www.dklafke.com/

DKLAFKE - Fotografia & Marketing

A DKLAFKE - Fotografia & Marketing está localizada no Max Shopping Center, em Santa Cruz do Sul/RS. Atualmente, estamos em reformas com previsão de abertura até o final de 2009.

Oferecemos aos nossos clientes serviços na área de fotografia e marketing.

FOTOGRAFIA

Estúdio Fotográfico e Fotolembrança
Na área de Fotografia, oferecemos aos nossos clientes estúdio fotográfico, além de cobertura de eventos e fotografias externas - fotos ao ar livre - fazendo da natureza nosso próprio estúdio e do sol ou da lua os nossos flashes. Oferecemos fotolembrança na sua festa ou evento - fotos na hora de seus convidados. Consulte-nos e personalize a sua festa.

Pet Book Fotográfico

Nossa fotógrafa possui como paixão a fotografia de animais, incluindo, sobretudo, os books fotográficos para Pet (cães e gatos). Além desses, há uma paixão especial pela fotografia de cavalos. Levamos o estúdio até a sua casa ou propriedade.
Com formação em Medicina Veterinária, curso de adestramento para cães, equitação e uma bagagem de conhecimento adquirido em psicologia animal, a fotógrafa transforma os animais em verdadeiros modelos fotográficos, produzindo álbuns encadernados no mais alto padrão de qualidade, além de diversos outros produtos.

Linha Horse e Linha Pet

Muitos desses produtos fazem parte da Linha exclusiva assinada pela fotógrafa e produzido pela DKLAFKE - Fotografia & Marketing. A Linha Horse e Linha Pet é composta de produtos personalizados com fotos selecionadas pela fotógrafa e com venda pronta-entrega. Uma opção de presentes exclusivos.
Os produtos da Linha Horse e Linha Pet também são distribuídos para Pet Shops e Lojas de Artigos Equestres para revenda ao consumidor. Os lojistas efetuam cadastro com a DKLAFKE - Fotografia & Marketing para terem acesso à compra por atacado com pedidos mínimos super razoáveis.
Fotoprodutos
Contamos com uma variedade imensa de fotoprodutos. São diversos produtos personalizados com fotos para presentes, lembrancinhas, brindes. Os fotoprodutos são campeões de venda. Virou uma verdadeira fotomania. O mundo da personalização agora está mais próximo de você - acesse nossa Loja Virtual e confira.
Cartões e convites personalizados
Desenvolvemos cartões, convites e lembrancinhas totalmente personalizados. Além dos modelos prontos que dispomos em nossos arquivos, também desenvolvemos modelos exclusivos para você. Personalize você também seus cartões de natal, aniversário e outros.

MARKETING

Impressos gráficos
Na área do Marketing criamos e produzimos diversos materiais gráficos, como cartões de visitas, folders, folhinhas, calendários, entre outros. Além disso, nosso cliente pode contar como uma linha de brindes para sua empresa e banners em lona para divulgação.
Edição e Diagramação
Nosso setor de edição e diagramação é responsável pela elaboração de revistas, livros, boletins informativos, anúncios publicitários, catálogos, álbuns encadernados e fotolivros.
Desenvolvimento de sites
Desenvolvemos sites pessoais e empresariais. Nosso diferencial são os sites de baixo custo destinado ao público jovem com interesse em criar um site da escola, dos amigos, da família ou, até mesmo, de uma festa ou evento.

ARTIGOS E EQUIPAMENTOS PARA FOTOGRAFIA E FILMAGEM

E, por fim, contamos, ainda, com uma linha de álbuns, porta-retratos, molduras e outros artigos e equipamentos para fotografia e filmagem, além de kiosk de impressão de fotos ultrarápido em nossa loja.

VENDA DE LIVROS

Nossa novidade é a venda de livros de publicação da Editora Photos na área de fotografia e edição. Única loja do ramo fotográfico da região com revenda de livros da Editora Photos.

HISTÓRIA DA FOTOGRAFIA


A história da fotografia pode ser contada a partir das experiências executadas por químicos e alquimistas desde a mais remota antiguidade. Por volta de 350 a.C., aproximadamente na época em que viveu Aristóteles na Grécia antiga, já se conhecia o fenômeno da produção de imagens pela passagem da luz através de um pequeno orifício. Alhazen em torno do século X, descreveu um método de observação dos eclipses solares através da utilização de uma câmara escura. A câmara escura na época, consistia de um quarto com um pequeno orifício aberto para o exterior.
Em
1525 já se conhecia o escurecimento dos sais de prata, no ano de 1604 o físico-químico italiano Ângelo Sala estudou o escurecimento de alguns compostos de prata pela exposição à luz do Sol. Até então, se conhecia o processo de escurecimento e de formação da imagens efêmeras sobre uma película dos referidos sais, porém havia o problema da interrupção do processo. Em 1725, Johann Henrich Schulze, professor de medicina na Universidade de Aldorf, na Alemanha, conseguiu uma projeção e uma imagem com uma duração de tempo maior, porém não conseguiu detectar o porquê do aumento do tempo. Continuando suas experiências, Schulze colocou à exposição da luz do sol um frasco contendo nitrato de prata, examinando-o algum tempo depois, percebeu que a parte da solução atingida pela luz solar tornou-se de coloração violeta escura. Notou também, que o restante da mistura continuava com a cor esbranquiçada original. Sacudindo a garrafa, observou o desaparecimento do violeta. Continuando, colocou papel carbono no frasco e o expôs ao sol, depois de certo tempo, ao remover os carbonos, observou delineados pelos sedimentos escurecidos padrões esbranquiçados, que eram as silhuetas em negativo das tiras opacas do papel. Schulze estava em dúvida se a alteração era devida à luz do sol, ou ao calor. Para confirmar se era pelo calor, refez a mesma experiência dentro de um forno, percebendo que não houve alteração. Concluiu então, que era a presença da luz que provocava a mudança. Continuando suas experiências, acabou por constatar que a luz de seu quarto era suficientemente forte para escurecer as silhuetas no mesmo tom dos sedimentos que as delineavam.O químico suíço Carl Wilhelm Scheele, em 1777, também comprovou o enegrecimento dos sais devida à ação da luz.
Thomas Wedgwood realizou no início do século XIX experimentos semelhantes. Colocou expostos à luz do sol algumas folhas de árvores e asas de insetos sobre papel e couro branco sensibilizados com prata. Conseguiu silhuetas em negativo e tentou de diversas maneiras torná-las permanentes. Porém, não tinha como interromper o processo, e a luz continuava a enegrecer as imagens.
Schulze, Scheele, e Wedgewood descobriram o processo onde os átomos de prata possuem a propriedade de possibilitar a formação de compostos e cristais que reagem de forma delicada e controlável à energia das ondas de luz. Porém, o francês
Joseph-Nicéphore Niépce o fisionotraço e a litografia. Em 1817, obteve imagens com cloreto de prata sobre papel. Em 1822, conseguiu fixar uma imagem pouco contrastada sobre uma placa metálica, utilizando nas partes claras betume-da-judéia, este fica insolúvel sob a ação da luz, e as sombras na base metálica. A primeira fotografia conseguida no mundo foi tirada no verão de 1826, da janela da casa de Niepce, encontra-se preservada até hoje. Esta descoberta se deu quando o francês pesquisava um método automático para copiar desenho e traço nas pedras de litografia. Ele sabia que alguns tipos de asfalto entre eles o betume da judéia endurecem quando expostos à luz. Para realizar seu experimento, dissolveu em óleo de lavanda o asfalto, cobrindo com esta mistura uma placa de peltre (liga de antimônio, estanho, cobre e chumbo). Colocou em cima da superfície preparada uma ilustração a traço banhada em óleo com a finalidade de ficar translúcida. Expôs ao sol este endureceu o asfalto em todas as áreas transparentes do desenho que permitiram à luz atingir a chapa, porém nas partes protegidas, o revestimento continuou solúvel. Niépce lavou a chapa com óleo de lavanda removendo o betume. Depois imergiu a chapa em ácido, este penetrou nas áreas em que o betume foi removido e as corroeu. Formando desta forma uma imagem que poderia ser usada para reprodução de outras cópias.
Niepce e Louis-Jacques Mandé Daguerre iniciaram suas pesquisas em
1829. Dez anos depois, foi lançado o processo chamado daguerreótipo.
Este consistia numa placa de de ouro e prateada, exposta em vapores de iodo, desta maneira, formava uma camada de iodeto de prata sobre si. Quando numa câmara escura e exposta à luz, a placa era revelada em vapor de mercúrio aquecido, este aderia onde havia a incidência da luz mostrando as imagens. Estas, eram fixadas por uma solução de tiossulfato de sódio. O daguerreótipo não permitia cópias, apesar disso, o sistema de Daguerre se difundiu. Inicialmente muito longos, os tempos de exposição encurtaram devido às pesquisas de
Friedrich Voigtländer e John F. Goddard em 1840, estes criaram lentes com abertura maior e ressensibilizavam a placa com bromo.
William Henry Fox Talbot lançou, em 1841, o calótipo, processo mais eficiente de fixar imagens. O papel impregnado de iodeto de prata era exposto à luz numa câmara escura, a imagem era revelada com ácido gálico e fixada com tiossulfato de sódio. Resultando num negativo, que era impregnado de óleo até tornar-se transparente. O positivo se fazia por contato com papel sensibilizado, processo utilizado até os dias de hoje.
O calótipo foi a primeira fase na linha de desenvolvimento da fotografia moderna, o daguerreótipo conduziria à fotogravura, processo utilizado para reprodução de fotografias em revistas e jornais.
Frederick Scott Archer inventou em 1851 a emulsão de colódio úmida. Era uma solução de piroxilina em éter e álcool, adicionava um iodeto solúvel, com certa quantidade de brometo, e cobria uma placa de vidro com o preparado. Na câmara escura, o colódio iodizado, imerso em banho de prata, formava iodeto de prata com excesso de nitrato. Ainda úmida, a placa era exposta à luz na câmara, revelada por imersão em pirogalol com ácido acético e fixada com tiossulfato de sódio. Em 1864, o processo foi aperfeiçoado e passou-se a produzir uma emulsão seca de brometo de prata em colódio. Em 1871, Richard Leach Maddox fabricou as primeiras placas secas com gelatina em lugar de colódio. Em 1874, as emulsões passaram a ser lavadas em água corrente, para eliminar sais residuais e preservar as placas.
Obtido em "
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_fotografia"


10 DICAS DE FOTOGRAFIA DIGITAL

Veja 10 dicas de fotografia digital
Bruno Maestrini


Tirar fotografias não é uma tarefa tão fácil quanto pode parecer. A habilidade em fotografar vai muito além de um simples apertar de um botão. Veja a seguir algumas dicas básicas para melhorar suas fotos.

1) Enquadramento
Tente fugir do clichê de colocar o assunto sempre no meio da foto. Desclocar o objeto principal da imagem pode fazer toda a diferença para deixá-la mais interessante.
Divida mentalmente o visor da câmera em três colunas e três linhas, como em um jogo da velha. As intersecções das linhas são os pontos mais interessenantes da sua foto. As linhas em si também mostram pontos de destaque, para colocar os olhos de uma pessoa ou o horizonte, por exemplo.


2) Flash desnecessário
Uma das coisas mais complicadas na fotografia é aprender a usar o flash de forma correta. Usar o flash muito em cima pode deixar a foto toda clara, e muito longe, escura.
Lembre-se que o flash tem um alcance limitado, de normalmente três a cinco metros, às vezes um pouco mais. Não adianta deixar o flash ligado em uma foto onde o foco é um objeto a 30 metros.
Um bom exemplo de mau uso do flash são shows. Em linhas gerais, não é necessário luz extra alguma nesse caso. A luz do palco é mais do que suficiente para sua foto. Usar flash só vai iluminar as cabeças de quem está na sua frente, fazendo sumir o resto.


3) Flash necessário
Um ambiente escuro não é o único lugar onde o flash é um acessório necessário. Em uma foto contra-luz, por exemplo, o flash pode ser usado como preenchimento.
Quando você for tirar uma fotografia de alguém com uma fonte de luz ao fundo, como o sol, por exemplo, você pode notar que o sol vai ficar brilhante e somente a silhueta da pessoa vai aparecer. Neste caso o flash irá suprir a falta de luz, deixando ambos visíveis.


4) Cuidado com o fundo
Tenha muito cuidado ao selecionar o local onde você vai tirar um retrato. A escolha do que aparece ao fundo é tão importante quando o que vem em primeiro plano.
Cores vibrantes, linhas e outros objetos podem interferir ou tirar a atenção do foco. Um erro engraçado, porém muito comum, é tirar foto de uma pessoa em frente a uma árvore onde os galhos parecem formar chifres sobre sua cabeça.


5) Retratos
Aproxime-se. Quando o assunto é uma pessoa, o que se quer mostrar é, oras, a pessoa. Não tenha medo de chegar perto. Se quiser, pode até cortar um pouco da parte de cima da cabeça. A esta distância é possível reparar em detalhes como sardas e cílios. O que não pode acontecer é aquele monte de nada na volta e um pequeno sujeito no meio.


6) Olhe nos olhos
Tire fotos na altura dos olhos da pessoa. Para tirar foto de criança fique de joelhos, sente, atire-se no chão. Faça o necessário para ficar ao nível dela.


7) Fotos verticais
Muitos assuntos exigem uma foto vertical. Se o foco tiver mais linhas verticais, como um farol ou uma escada, vire a câmera.


8) Aproveite a luz
Não há luz mais bonita que a luz natural do sol. Sempre que puder, aproveite-a. Posicione-se de forma a deixar a fonte de luz à suas costas, aproveitando assim a iluminação. É impressionante quanta diferença pode fazer um simples passo para o lado.
A luz difusa de um dia nublado é excelente para realçar cores e suavisar contornos, sendo excelente para tirar retrados.
É preciso de muito cuidado ao usar o flash. A luz dele, além de forte, tem uma cor diferente a do ambiente. Uma luz dura vai deixar rugas e imperfeições muito mais aparente. Já notou como sempre se fica feio em foto 3x4? Eis a resposta.


9) Cor
A maioria das câmeras digitais vêm com controle de cor, ou white balance. Esse controle de cor faz com que o branco seja realmente branco sob determinada fonte de luz. Mas as configurações pré-selecionadas da câmera nem sempre são as mais indicadas para quem quer fidelidade.
A configuração para dias ensolarados, normalmente indicada por um pequeno sol, dá um tom mais amarelado às fotos. Essa tonalidade dá uma sensação de calor e afeto, tornando a foto mais interessante sob determinados aspectos.
Experimente bastante o controle de cor até acertar o que mais se adequa ao que você quer.


10) Experimente
Não há melhor dica do que esta: experimente. O segredo da fotografia está na tentativa e erro. Leia de cabo a rabo o manual da sua câmera, para saber tudo que ela é capaz, e tente todas as configurações possíveis.
A fotografia é muito subjetiva, não há regras. O mais importante é aprender a dominar a luz e sua câmera, para depois fazer o que quiser.